O termo Agroecologia, como consta hoje nos dicionários da língua portuguesa, é definido por ecologia dos sistemas agrícolas (agro + ecologia). Pela definição etimológica, a Agroecologia se referiria especificamente ao meio natural e a toda e qualquer forma de produção agrícola. Entretanto, a essa definição etimológica soma-se outra, de caráter humano: a Agroecologia como área de conhecimento social e culturalmente construída, demarcando um novo foco de necessidades humanas, o de orientar a agricultura à sustentabilidade, no seu sentido multidimensional. Nesse sentido, ela se concretiza quando, simultaneamente, cumpre com os ditames da sustentabilidade ecológica (manutenção ou melhoria da qualidade dos recursos naturais e das relações ecológicas de cada ecossistema), econômica (potencial de geração de renda, de trabalho, acesso ao mercado), social (inclusão das populações mais pobres e segurança alimentar), cultural (respeito às culturas tradicionais), política (organização para a mudança e participação nas decisões) e ética (valores morais transcendentes).A Agroecologia se desenvolve também enquanto ciência, se estruturando desde o aprimoramento do estudo de tecnologias e métodos adequados a produção ecológica de sistemas agrícolas, até pesquisas de caráter sociológico que se sustentam e se complementam a partir do conhecimento empírico popular. Portanto, se apresenta potencialmente como proposta de transformação social, tanto no que se refere às relações internas da sociedade como às relações entre homem e natureza.